Presidente Celso Neto é acusado de coagir e constranger advogada

O Pauta Judicial foi informado que a advogada vai pedir uma retratação por parte do presidente Celso Neto e estuda tomar outras medidas.

A temperatura foi a mil na sala do Conselho da Ordem dos advogados do Piauí na tarde ontem, 28/01. O presidente da Ordem dos advogados do Piauí Celso Neto é acusado de coagir e constranger a advogada Cláudia Pimentel na presença de vários advogados na reunião que discutia a redução do pagamento da anuidade na sede da seccional do Piauí.

Foto: TELSÍRIO ALENCAR/PAUTAJUDICIALCelso Neto é acusado de coagir e constranger advogada
Presidente da OAB/PI Celso Neto é acusado de coagir e constranger advogada

Um grupo de advogados levou para o presidente da OAB/PI, Celso Neto, uma petição eletrônica com 1.120 assinaturas de advogados solicitando que o presidente mantivesse os 30% de desconto para quem fosse pagar a anuidade no mês de janeiro.

Quando a reunião começou o presidente da Ordem se virou para a advogada Claudia Pimentel e disparou contra seu esposo: “Seu marido vive me atacando na rede social”, continuou Celso.

Foto: DivulgaçãoCelso Neto é acusado de coagir e constranger advogada.
Celso Neto é acusado de coagir e constranger advogada.

Advogada  rebateu Celso Neto dizendo que desconhecia os ataques, mas que seu marido tinha um CPF que era diferente do dela. “Tome suas providencias com ele, o debate aqui é outro”, pediu a jurista.

Mesmo assim, Neto continuou falando do marido da advogada embora com a interferência de vários integrantes da reunião que pedia que Neto parasse com os ataques ao esposo da advogada que nem se quer estava presente.

A advogada Cláudia Pimentel não se conteve e caiu em prantos e foi retirada da reunião.

O Pauta Judicial foi informado que a advogada vai pedir uma retratação por parte do presidente Celso Neto e estuda tomar outras medidas contra o atual presidente da Ordem dos advogado do Piauí Celso Neto. “Eu me senti coagida e constrangida. Se eu fosse um homem ele não teria aquela coragem toda”.

Nossa reportagem não conseguiu falar com o presidente da Ordem Celso Neto. Mas em respeito ao contraditório, o espaço está reservado para sua manifestação.

VEJA AQUI A PETIÇÃO ONLINE ASSINADA  POR 1.120 ADVOGADOS (AS)

lustríssimo Senhor Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Conselho Seccional do Estado do Piauí, Dr. Celso Barros Coelho Neto.  

Os advogados e advogadas abaixo assinados, regularmente inscritos nos quadros deste Conselho Seccional, vêm, respeitosamente, por meio desta, REQUERER o que segue.  

Considerando que nossa Seccional cobra a anuidade mais cara da Região Nordeste[1] (Piauí R$957,00, Alagoas R$810,00, Bahia R$ 850,00, Ceará R$883,00, Maranhão R$830,00, Paraíba R$850,00, Pernambuco R$834,00, Rio Grande do Norte R$870,00 e Sergipe R$835,00), sendo o Piauí um dos Estados mais pobres do país[2], com menor índice de desenvolvimento e, por via de consequência, uma menor cartela de clientes, onde, segundo a JUNTA COMERCIAL DO PIAUÍ (JUCEPI), 881 empresas encerraram as atividades em 2019[3], sendo a maioria por ausência de faturamento mínimo;  

Considerando a ausência de uma prévia e ampla comunicação aos advogados/advogadas acerca da existência de discussão sobre a redução no percentual do desconto no valor da anuidade, que ocorreu em Sessão Ordinária realizada no dia 28.11.2019, por meio da qual fora aprovada resolução própria prevendo a redução do desconto de 30% (trinta por cento) para 20% (vinte por cento) para pagamento da anuidade até 31.01.2019, e que tomou de surpresa a classe em virtude do exíguo período e ainda por ser época de baixo rendimento para a advocacia privada, gerando, inclusive, a necessidade urgente de alteração do mês para pagamento da anuidade da OAB-PI;  

- Considerando que os motivos apresentados para a redução do desconto, tais como ausência de recebimento da taxa judiciária e descontos à jovem advocacia e ao advogado idoso não são novos e muito menos advindos de força maior, mas, pelo contrário, fazem parte da realidade orçamentária da nossa Seccional desde gestões passadas, sendo fato que não se pode atribuir a redução do percentual do desconto a estes fatores, como ressaltado na Ata da Sessão de 28.11.2019, cuja cópia segue anexa;   - Considerando o recesso forense do Poder Judiciário do Estado do Piauí, ocorrido de 20/12/2019 a 06/01/2020[4], e a suspensão dos prazos processuais pelo período de 20/12/2019 a 20/01/2020[5], período considerado como "férias dos advogados", ambos fatores que anualmente geram uma brusca redução da receita dos advogados/advogadas que sobrevivem exclusivamente da advocacia privada;  

- Considerando que janeiro é o mês tradicionalmente com a maior incidência de despesas, tais como, IPVA e demais taxas de Renovação de Licenciamento Anual de Veículo, despesas escolares (matrícula, compra de livros, material e fardamento), matrícula em universidade/curso de pós-graduação, IPTU, despesas com festividades e viagens de fim de ano e férias, dentre outras despesas extras que sempre reduzem a capacidade financeira da população todo início do ano, devendo nossa Seccional ter um olhar sensível sobre esta condição e buscar minorizar o impacto para a classe advocatícia através da alteração do mês de pagamento ou da extensão do prazo para pagamento, com desconto, da anuidade;  

- Considerando a atual crise econômica instalada no país, e que atingiu diversas camadas sociais, micro e grandes empresas, profissionais autônomos e liberais, dentre eles a classe advocatícia, em especial os advogados e advogadas piauienses que laboram arduamente em um dos estados mais pobres da federação e com a Justiça Estadual de menor produtividade do país, conforme levantamento realizado em 2019 pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ)[6];  

- E por fim, considerando a necessidade do atendimento ao Provimento 185/2018 do CFOAB que, dentre outras disposições, estabelece a implantação de um orçamento anual verdadeiramente participativo, discutido junto à classe em audiência pública, e a realização de um estudo mais aprofundado acerca das contas da OAB-PI, de forma a adequá-las à atual situação econômica nacional, que exige uma melhor gestão dos recursos, contenção de gastos e priorização das despesas essenciais ao pleno funcionamento desta Seccional e de suas Subseções, além de um adequado planejamento dos investimentos a serem realizados de forma condizente com a capacidade financeira da OAB-PI, tudo de modo a evitar que a classe advocatícia piauiense seja onerada com reajustes ou redução de descontos concedidos na anuidade, objetivando sempre a criação/manutenção do máximo possível de benefícios aos advogados/advogadas;  

Por todas as razões acima expostas, REQUEREMOS:  

1)   A manutenção do desconto de 30% (trinta por cento) para pagamento da anuidade da OAB-PI, exercício 2020, na modalidade à vista até 31.01.2019 ou com parcelamento no cartão de crédito em 3 (três) parcelas, acrescidas dos encargos da operadora do cartão. Por via de consequência, que sejam devolvidos os valores pagos a mais aos advogados/advogadas que, por ventura, já tenham quitado a anuidade 2020 com a incidência do desconto de apenas 20% (vinte por cento) no valor;

2)   Em não sendo possível a manutenção do desconto de 30% (trinta por cento), o que se admite apenas em observância ao princípio da eventualidade, requeremos, alternativamente, que seja concedido o desconto 20% (vinte por cento), para pagamento na modalidade à vista com extensão do prazo até 31.03.2019 ou com parcelamento no cartão de crédito em 3 (três) parcelas, acrescidas dos encargos da operadora do cartão;  

3)   Que seja implantado em âmbito da OAB-PI já neste ano de 2020 o orçamento anual verdadeiramente participativo, com realização de audiência pública para fins de definição, junto à classe advocatícia, da previsão orçamentária e planejamento financeiro para o ano subsequente, inclusive com a deliberação acerca do melhor mês para cobrança da anuidade, nos termos do Provimento 185/2018 do CFOAB;  

4)   Que seja nomeada equipe/comissão para realização de um estudo aprofundado acerca das contas da OAB-PI, de forma a adequá-las à atual situação econômica nacional, objetivando uma melhor gestão de recursos, a contenção de gastos e a geração de novas receitas, do modo a alcançar o urgente equilíbrio financeiro das contas desta Seccional.  

Para fins de atendimento aos pedidos ora formulados, REQUEREMOS a inclusão dos mesmos na pauta da Sessão Extraordinária do Conselho Estadual da OAB-PI, agendada para 23.01.2020, para deliberação e decisão, para a qual deverá ser dada ampla publicidade à classe advocatícia.

Com a plena certeza de que seremos atendidos em nosso pleito, em tempo hábil, por se mostrar legítimo, aproveitamos o ensejo para direcionar votos de elevada estima e consideração.

Nestes termos,

Pedimos deferimento.

 Teresina (PI), 13 de janeiro de 2020.

Lívia Silva Leão

OAB-PI 8.123

[email protected]

Fonte: REDAÇÃO

Compartilhe este artigo:

Facebook

Enquete

Qual sua avaliação sobre o juiz das garantias para o país?



Últimas Notícias